Junte-se a nós!Se você gosta de nerdices, geek, otaku, cult e etc!

Resenha | Os Erros e Acertos da Saga Goku Black em Dragon Ball Super

Oi! Eu sou o Cereus! E hoje vamos falar de Dragon Ball Super e sua última saga Goku Black. É claro que para elaborar essa crítica sobre a nova animação iremos também soltar alguns spoilers.

dragon-ball-super-abertura
Cena de abertura da Saga Goku Black em Dragon Ball Super.

O retorno da série retomou o sucesso quando prometeu trazer o seu criador — Akira Toriyama — trabalhando em conjunto para fazer a nova série tomar um rumo sóbrio, para isso a retomada se aproveitou dos dois últimos filmes, A Batalha dos Deuses e O Retorno de Freeza, elaborando, assim, uma nova mitologia mais épica ainda, impondo novos horizontes e explorando novos limites.

O Super se passa depois de Majin Boo e antes do encerramento de Dragon Ball Z, quando Oob surge para lutar nas finais do novo torneio, para orientar os fãs ele é citado como sendo ainda um bebê, portanto não pode enfrentar os novos desafios divinos dos Saiyajins terrestres. A série virou um verdadeiro “fanservice”, trazendo golpes do Vegeta de volta, como o Canhão Galick e o Resplendor Final,  mostrando os limites da transformação do Super Saiyajin Azul enquanto novos personagens são apresentados o tempo todo.

Com o fã devidamente localizado no tempo, falta localizar ele no espaço, montando um cenário com novos poderes, deuses e planetas, surgiu no Super os “Universos Paralelos” e a retomada da “Viajem no Tempo”, e foi aí que a emoção (e os problemas) começaram.  Foi interessante ver a ligação com o Z ao reapresentar o novo futuro do Mirai Trunks, que desta vez volta ao passado para tentar resolver o problema com um novo e desafiante inimigo: o Goku Black.

Black — palavra em inglês para “negro” ou “sombrio” —  é o novo agente aniquilador dos terráqueos em nome da sua própria justiça e força Mirai Trunks a fugir para o passado prejudicando a vida do já sofrido meio-saiyajin. No passado o jovem encontra o verdadeiro Goku e companhia, conta o que sabe sobre o vilão, batalham contra ele, planejam, batalham novamente, tomam atitudes incoerentes e batalham mais uma vez. Com o desenrolar da história de Black surge um problema: a cronologia.

Spoilers à frente.

el-nuevo-enemigo-black-goku-ha-destruido-todo-el-mundo_745659

A trama toda gira em torno de Zamasu, um Kaiohshin em treinamento e gênio das artes marciais, que de algum modo teria controlado o corpo de Goku original de alguma linha do tempo alternativa. Bem, todos sabemos que o Goku do futuro de Trunks morrera de uma doença  cardíaca pouco antes do surgimento dos andróides 17 e 18, e jamais teria enfrentado Cell. A trama começa a se embrenhar em uma confusão nas linhas temporais, principalmente envolvendo mais viagens entre o passado e futuro para desenvolver a história.

É explicado que para cada uma ação no passado, uma linha do tempo nova surge, abrindo um leque ainda maior de possibilidades para todos os heróis. Cada alteração na linha do tempo cria um novo anel do tempo, talvez uma nova linha do tempo possa ser explorada e, quem sabe, novos desafios para todos os heróis. Descobrimos também os novos Kaioh, mais supremos ainda, e além.

Além do confuso desenvolver da trama, a Saga Goku Black não consegue explicar o poder misterioso (e a sorte infinita) de Mirai Trunks frente à Black, quando nem mesmo Goku e Vegeta, ambos na forma Azul, não conseguem ser páreo para o vilão, enquanto Trunks peita ele várias vezes até o final. De longe o pior uso do protagonismo para promover o fim de uma saga que poderia ser mais de oito mil vezes melhor trabalhada. A maior e mais desnecessária falha foi a explicação da Fusão Potara (brincos) ter durado apenas uma hora, é desesperador de tão ruim! Esse tipo de coisa deveria entrar para um manual de “como acabar com a sua série favorita”.

Entretanto, explicações ruins, cronologia confusa e trama falha não aplacam o poder das batalhas no Super, de longe o ponto mais alto da saga. Ver todo aquele poder destrutivo na luta de Vegeto contra Gattai Zamasu (fusão), é simplesmente de arrepiar. O coração quase parou várias vezes de emoção. Foram pouco mais de 5 minutos de prazer visual, que valeram mais do que todos os episódios juntos e todas as explicações estapafúrdias.

Mexer com universos paralelos e linhas de tempo paralelas pareceu, no começo, uma ideia retirada diretamente do fanzine Dragon Ball Multiverse, que os fãs acompanham faz tempo, com um leve diferencial para não parecer uma cópia descarada. E foi uma ideia maravilhosa saber que existe sim, muito mais a explorar: planetas, galáxias, universos paralelos e muito mais. Ver todos os Guerreiros Z de volta é um prazer imenso, até mesmo dando um pequeno destaque para Vegeta, bem pequeno mesmo.

Apesar do roteiro não favorecer muito o motivo da série continuar prendendo a atenção dos fãs, acredito que é uma tentativa válida de retomar a série e que aos poucos eles irão se alinhar e começar a respeitar o cânone. O roteiro é falho em diversos pontos, falta um fã de verdade dentro da equipe para equilibrar os abusos que estão acontecendo para servir apenas de fanservice e nada mais, mas tirando os erros a série é uma boa forma de se lembrar dos tempos áureos de Dragon Ball quando Freeza metia medo no coração de Vegeta, ou de quando Cell roubou a cena e provou que era sim o ser perfeito.

Saga Goku Black ganha aqui apenas 3 (de 5) tapiocas. Vale à penas assistir sim, pela nostalgia, pelas batalhas, pelo carisma de Goku ou pelo rabugento Vegeta. O que vale é acompanhar.

  • carlos william

    eu queria entender pq o black escolheu o mundo de mirai trunks

  • Cereus • NERDestinos

    Por um descuido durante a batalha contra Babidi e Daburah na saga de Majin Boo do futuro (nessa Boo não acorda). Nesta mesma batalha o Supremo Kaioh (aquele baixinho de moicano) participou, porém ele foi atingido pelo cuspe de Daburah e transformado em pedra, depois seu corpo petrificado quebrou o que causou a sua morte.

    Na história é explicado que o Supremo Kaioh é ligado pela vida com o Deus da Destruição, neste caso o Bills do futuro. Com a morte do Kaioh, Bills também morre. Portanto esse lugar era perfeito para os planos de Goku Black por não ter um Deus da Destruição, o único que poderia exterminá-lo com um só golpe, ficando os demais Kaioh mais fracos fáceis de serem assassinados, e foi assim que Black fez.

    Depois de todos os deuses mortos, restou apenas Black e seu aliado para realizar o plano final.

    Um grande abraço e obrigado por comentar! o/