Junte-se a nós!Se você gosta de nerdices, geek, otaku, cult e etc!

Quadrinhos em Cordel | Star Wars e seu novo cânone

O Quadrinhos em Cordel é uma coluna semanal do NERDestinos exclusiva para quadrinhos. Textos novos todos os sábados.

SecretSWCvr_Noto1-1088x816-194475709646

Depois de anos de espera, faltam apenas alguns dias para a estreia de Star Wars: O Despertar da Força, o mais novo capítulo da saga nos cinemas. Curiosamente nesse mesmo ano de 2015, também houve um despertar de Star Wars nos quadrinhos: a Dark Horse perdeu os direitos de publicação da franquia e a Lucasfilm deixou tudo na mão da Marvel. Nada mais lógico, afinal ambas empresas são da Disney.

A partir de janeiro desse ano, começou-se um processo de reestruturação do cânone nos quadrinhos. Muita gente assume que todas as obras pré-2015 foram desconsideradas, porém há uma importante exceção que deve ser ressaltada de imediato antes de falar dos quadrinhos novos da Marvel, que é Darth Maul – Son of Dathomir (em tradução livre, Darth Maul – Filho de Dathomir).

Son of Dathomir é uma mini-série em quatro edições lançada em 2014 que mostra um conflito entre Maul, Dooku e Palpatine que ocorre durante as Guerras Clônicas e é justamente por causa disso que esse é o único quadrinho da Dark Horse considerado cânone. Inicialmente, a história da HQ seria adaptada para a série animada Clone Wars, que é cânone, mas acabou se tornando HQ por conta do cancelamento da série.

star-wars-darth-maul-son-of-dathomir-3-1536x864-104191482579
O duelo Dooku vs. Maul estampa a capa da terceira edição de Son of Dathomir

Seguindo a ordem cronológica de eventos e entrando nos quadrinhos da Marvel desse ano, temos a primeira obra nessa mídia, e até então única, baseada em personagens da série animada Star Wars Rebels, também cânone: Star Wars: Kanan.

Na série de TV, Kanan é usuário da Força e líder da tripulação da nave Ghost, que auxilia diretamente a Rebelião aproximadamente cinco anos antes de Uma Nova Esperança. Nos quadrinhos, vemos um Kanan mais novo – quando ainda era chamado de Caleb Dume – ainda aprendendo sobre a Força em aventuras durante as Guerras Clônicas com sua mestre Depa Billaba.

A revista começou a ser lançada apenas como uma mini-série de seis edições chamada Kanan – O Último Padawan, mas fez tanto sucesso que a Marvel decidiu torná-la mensal e dá-la um novo nome.

Caleb e Depa lutam contra os clones durante a execução da Ordem 66
Caleb e Depa lutam contra os clones durante a execução da Ordem 66

Apesar das Guerras Clônicas serem parte muito importante do universo da saga, a maior variedade de novas HQs cânones está durante os Episódios IV e V. Logo após Uma Nova Esperança, temos três mini-séries, cada uma focada em uma aventura de cada personagem, são elas: Star Wars: Princesa Leia, Star Wars: Chewbacca e Star Wars: Lando.

Enquanto Leia embarca em uma nova missão para resgatar o povo de Alderaan que havia perdido seu planeta natal, Chewbacca tenta fugir de um planeta dominado pelo Império com a ajuda de uma garotinha chamada Zarro. Já Lando, com a ajuda de Lobot, monta um mega plano para roubar uma nave extremamente valiosa, porém ele só descobre depois que essa nave pertence ao Imperador.

Capa da primeira edição de cada uma das mini-séries
Capa da primeira edição de cada uma das mini-séries

Também durante esse mesmo período da saga, as mensais Star Wars e Star Wars: Darth Vader são duas das revistas que mais deram lucro para a Marvel nesse ano e há motivos bem satisfatórios para isso: a primeira é focada no trio mais amado da cultura pop, Han, Leia e Luke, e seus fiéis amigos C-3PO, R2-D2 e Chewbacca. A outra mostra a reestruturação do Império pós-batalha de Yavin e a busca pelo garoto que destruiu a Estrela da Morte pelo ponto de vista de um dos maiores vilões da cultura pop, Darth Vader.

O mais legal é que, por se passarem na mesma época, em vários momentos as revistas se cruzam. Em determinados momentos, o que acontece em uma reflete indiretamente na outra e isso é tão forte que a Marvel decidiu nesse mês de dezembro lançar o primeiro crossover propriamente dito entre as duas, chamado Star Wars: Vader Down.

O crossover marca o primeiro grande confronto entre a Aliança Rebelde e o Império desde Yavin em um total de seis edições com início em Vader Down #1, passando pelas edições #13 e #14 das duas mensais e terminando em Darth Vader #15. Vale a pena ressaltar que a primeira edição tem os traços do brasileiro Mike Deodato Jr.

Arte de capa + contra-capa variantes de Star Wars #1
Arte de capa e contra-capa variantes de Star Wars #1

Para criar a ponte entre a trilogia clássica e a nova trilogia e encerrar o ano com chave de ouro, Star Wars: Shattered Empire mostra as consequências diretas da Batalha de Endor, que acontece no final de O Retorno de Jedi e leva à morte Vader e o Imperador.

Lançada como o primeiro quadrinho do selo “Jornada para O Despertar da Força”, Shattered Empire saiu em quatro edições e mostra aventuras com Han, Luke e Leia mas com foco no casal Shara Bey e Kes Dameron, os pais de Poe Dameron, piloto da Resistência que será interpretado por Oscar Isaac em Star Wars: O Despertar da Força e tem tudo para ser um dos personagens mais importantes da nova trilogia.

Além de mostrar que o fim da segunda Estrela da Morte não foi necessariamente o fim do Império, a revista dá pistas muito interessantes sobre os planos de Palpatine, o futuro dos Jedi e da própria Força em si.

Lando elogia Shara Bey em Shattered Empire #1
Lando elogia Shara Bey em Shattered Empire #1

Além de todas as obras citadas acima, a Marvel já tem planos de mais títulos para 2016. A primeira edição de Star Wars: Obi-Wan & Anakin, história dos heróis entre os Episódios I e II, sai em janeiro e Star Wars: C-3PO, one-shot mostrando como o dróide ganhou seu novo braço vermelho que veremos em O Despertar da Força, sai em fevereiro.

Unindo todas as revistas que fazem parte do novo cânone da saga, montamos uma linha do tempo para facilitar a visualização do cenário atual. Confira:

Clique na imagem para ampliar
Clique na imagem para ampliar (atualizada em 12/12)

A Força está te chamando para comprar todos os quadrinhos possíveis, só cuidado para não cair no encanto do lado negro.