Junte-se a nós!Se você gosta de nerdices, geek, otaku, cult e etc!

Yujô Gamer Level Up | Fomos ao maior evento de jogos em Natal

blogyujo

O Yujô Gamer Level Up (YGLU), o maior evento de vídeo games em Natal, transformou o Centro de Convenções de Natal em uma mistura de nostalgia com competição e muita competição. O evento aconteceu nos dias 19 e 20 de dezembro de 2015 aqui em Natal, no Rio Grande do Norte, e nós estávamos lá para conferir tudo, conhecer os convidados e jogar muito, mas muito vídeo game.

O YGLU começou um pouco fora do horário, mas isso não desanimou os visitantes, alguns eventos que deveriam começar pela manhã tiveram que ser remanejados para o segundo dia, mas assim que tudo estava liberado para entrar, a nostalgia já nos deu um golpe de peixeira no espinhaço: várias mesas com dezenas de consoles já estavam nos esperando logo após o pátio do Centro de Convenções. Aliás não estavam todos ali, eram do segundo console criado até a nova geração dominante do mercado. Estavam lá até os controles, os projetos que quase deram certo, as falhas que nunca foram sucesso, tudo! Conversando com Glídio Márcio, o curador do Museu do Videogame Potiguar, ele nos contou que são, pelo menos, cinco colecionadores ali, unidos em prol da memória e formando a maior coleção de consoles, joysticks e de antigas revistas especializadas. Era simplesmente uma viagem pela história dos jogos de vídeo game.

museu do video game potiguar

Ali ao lado também tinha jogatina dos mais clássicos desafios que, na nossa opinião era a sessão mais maravilhosa e nostálgica do YGLU. Tinha Megaman, Mortal Kombat, Mario Kart, Sonic, os primeiros joguinhos do Master System e até o nosso cinegrafista arriscou um passeio em realidade virtual com o OculusVR, se arrepiando em uma montanha russa veloz e em seguida voando pelos céus de uma vila abandonada com direito a mergulho no mar. Ali ao lado havia também uma máquina de fliperama com os famosos Street Fighter e The King of Fighters. Mas nem tudo são flores: quem quisesse aproveitar para conhecer os antigos clássicos, ou até matar a saudade, teria que desembolsar 5 reais por uma hora de jogo, um preço um pouco salgado para quem já pagou pelo ingresso.

(Abrindo um parêntese rapidão: “Salgado” me lembrou a lanchonete!! Santa Asa Branca! Finalmente alguém lembrou que os visitantes vão gastar muita energia e a equipe do YGLU preparou uma lanchonete especial para suprir a fome de todos, e tudo por preços em conta, tendo em vista que o lugar mais próximo vendendo comida era longe pra dedéu. A lanchonete também ajudou a manter os visitantes o máximo de tempo possível no evento, e aquelas coxinhas eram divinas!)

Na sala em frente ao Museu do Videogame aconteceu os campeonatos de e-sports, tinha até narrador exclusivo e as batalhas foram acirradas até o final. Dentre os jogos o mais aclamado era, de longe, League of Legends. Curiosamente em uma outra ocasião houve um concurso de dança de murlocks, onde quem assistia as partidas narradas poderia tentar imitar um murlock – um tipo de monstro anfíbio da Blizzard – e, quem se saísse melhor ganharia um fofíssimo murlock de pelúcia. Foi uma competição de soltou muitos risos da platéia e uma ótima fonte de distração entre uma partida e outra. Nas batalhas finais os times deram o seu melhor para abrilhantar o show.

Continuando o largo corredor haviam também várias lojas e algumas barracas vendendo seus artigos, camisetas, canecas jogos de cartas, bottons, livros, toucas, ilustrações, posteres e até varinhas de Harry Potter. A feira, que mais parecia o Beco Diagonal, era pequena, mas dava conta tranquilo do movimento, que foi surgindo aos poucos, ainda tímida e curiosa com o material apresentado. Na sala ao lado das barracas tinha também jogatina. Uma barraca com jogos de cartas, mesas e pessoas montando mas mais variadas estratégias para vencer seu adversário, enquanto estavam cercados de curiosos. Ao redor da sala telas apresentavam os projetos independentes de jogos em desenvolvimento (que poderiam ser testados ali), card games exclusivos, livros sobre a experiência de crescer jogando vídeo game e mais gameplay. Lá no fundo do salão dois telões dividem grupos de Just Dance 2015 várias pessoas tentavam acertar as coreografias e um Salazar Sonserina que dançava como se não houvesse amanhã, sincronizado perfeitamente com os comandos do jogo.

cosplay yujo gamer level up

Sim, e por falar em Sonserina, a quantidade de cosplayers estava de encher os olhos. Em um dado momento era possível ver o pátio cheio deles posando para fotos, sendo entrevistados, filmados, agraciados. Foi magnífico saber que Natal tem uma quantidade muito boa de cosplayers, alguns de alto nível. Por lá passeavam ninjas do Clã do Pé, Jynx de League of Legends, soldados da Umbrella, o ninja Scorpion, a alquimista May Chang, a lutadora Tifa, a acróbata Diana, o guerreiro Goku, a princesa Elisabeth, a aventureira Fiona seguida da Rainha do Gelo, o Arqueiro Verde, o mercenário Deadpool, a defensora VI dentre outros. A apresentação no palco também era muito esperada. Uma nota espetacular para o Jack Esqueleto que, além de performático no personagem, estava muito bem maquiado fazendo com que sua apresentação, se não fosse os problemas técnicos do som, trouxesse de volta a animação stop motion dos filmes. Também louvores ao Lorde Destruidor que, com sua prateada armadura polida e acompanhado de seus Ninjas do Clã do Pé, era assediado por todos afim de uma fotografia e mal conseguia andar alguns metros e ser pararado novamente para mais fotos. Houveram alguns contratempos, mas todos se apresentaram, a única coisa que atrapalhou um pouco as apresentações foi a falta de um fundo preto para esconder os ajudantes dos cosplayers (que eram obrigados a trajar preto).

Por falar em palco e apresentação os convidados deram um show. Literalmente. Player Tauz cantou cada um de seus tributos e foi acompanhado pela platéia que estava colada ao palco, além de ao fundo estar rodando no telão as cenas de seus clipes o que deixava a apresentação mais empolgante. Dentre os tributos ele cantou Vegeta e Monster, os mais assistidos. Coelho também subiu ao palco, conversou com seus fãs e participou de um desafio um pouco nojento. Em outro momento estavam Cauê Moura e Muca Muriçoca lado a lado conversando com seus fãs e contando alguns segredos e curiosidades de suas vidas de Youtuber. Gustavo Nader (Gasganete de WoW, Leonard  em The Big Bang Theory) trouxe a parte mais produtiva, com sua bagagem profissional ele respondeu diversas dúvidas e lançou sua já famigeradas piadas infames, às vezes tão toscas tiravam risada dos fãs e de toda equipe ao redor só pela falta de noção. Nader ainda fez algumas falas clássicas de personagens para quem empresta a sua voz. Cada um soube utilizar bem seu envolvimento com quem estava ali para vê-los e acredito que essa parte tenha sido uma ótima experiência, tanto para os convidados, quanto para os fãs.

convidados yujo gamer level up 2015

No palco não aconteceu somente apresentação de cosplayers, conversa com convidados ou uma banda musical, também teve jogos, muitos jogos. Quem pensou “vídeo games” errou, ali aconteceu o Gamer Showdown, uma competição de perguntas e respostas sobre os jogos de vídeo games que fizeram os cabelos dos participantes um pouco mais bracos ou um pouco menos unidos. Perguntas capciosas no melhor estilo “quem é esse Pokémon” envolvendo os personagens famosos de jogos, contagem de “hit combos” dos jogos de luta e até uma versão adocicada do “torta na cara” foram parte da competição que teve até uma participação especial do próprio Cauê Moura. No final sobraram apenas dois times, destes o campeão, adivinha? Fomos nós! Sim, nem nós esperávamos por esse resultado, mas a competição não contava apenas com o conhecimento dos participantes como também o equilíbrio entre saber a resposta certa e dar a resposta certa. O Showdown foi um dos eventos programados para os dois dias, mas o atraso no primeiro dia jogou tudo para um dia só, porém o mais importante é que todo mundo se divertiu, quem estava no palco ou na platéia.

E o Yujô Gamer Level Up foi assim, um misto de entrevistas, artigos de coleção, barracas de vendas, competição, cosplayers, nostalgia, projetos, mais competição, dança, emoção, e tudo isso regrado à muita coxinha da cantina! Uma tapioca de côco com catupiri para toda a equipe, que eram educadíssimos e muito prestativos, além de ouvirem com atenção algumas dicas que demos durante o evento também nos atenderam muito, mas muito bem mesmo quando precisamos conferir alguma novidade que estava acontecendo. Danielvis, Felipe “Aoshi”, Marquidones “Zero”, Victor Rocca, enfim, todos estavam de parabéns! A atenção dada pela equipe foi linda, exceto pela memória de alguns quando voltávamos do almoço e para ser reconhecido um de nossos membros teve que recolocar o seu icônico chapéu de cangaceiro. Fora isso, vocês são lindos e cheirosos!

E se você não viu as fotos do evento elas estão em nossa página do Facebook, algumas no nosso Instagram e outras espalhadas nos perfis dos visitantes. E não deixem de conferir o Yujô Fest em agosto deste ano!